11 perguntas que ensinam a criança a ser feliz

0
207
Conversando com os filhos Green Apple School Vila Mariana Escola Bilingue bercario ao fundamental 1

Feliz! Este artigo é de autoria da Dra. Samantha Rodman. Gostamos e concordamos com o que ela propõe, e resolvemos traduzi-lo e publicá-lo aqui no Blog da Green!

Você é naturalmente despreocupado e feliz?

Nesse caso, é provável que uma mistura de sua genética (gêmeos idênticos criados normalmente são o mesmo nível de ) e suas escolhas pessoais sobre como viver sua vida.

O campo da psicologia positiva centra-se na ideia de que as pessoas podem tornar-se felizes apenas mudando a forma como pensam e agem. A felicidade é conceituada como mais um hábito do que uma bênção dada por Deus.

E enquanto parte da sua felicidade é biologicamente determinada, há muitas coisas que você pode fazer para ser mais feliz.

Essas 11 perguntas ajudam a concentrar seus filhos em como se tornarem felizes.

Eventualmente, seus filhos irão internalizar essas questões e perguntar a si mesmos em suas próprias cabeças. Então você terá dado a elas o presente da felicidade, que fará você (você adivinhou!) feliz.

1. Qual foi a sua parte favorita do dia de hoje?

Essa é uma boa pergunta a ser feita na hora de dormir, para ajudar seu filho a se sentir contente e feliz antes de dormir. Também incita o hábito de se concentrar na melhor coisa que aconteceu em um determinado dia em vez da pior. Se você fizer dessa parte da sua rotina de ir dormir, ela se tornará uma segunda natureza.

2. Pelo que você é grato?

Esta é uma boa pergunta para a mesa de jantar. Cada membro da família pode dar uma vez dizendo o que ele ou ela é grato por esse dia. Existe uma forte correlação entre felicidade e gratidão, então esta é muito poderosa.

3. O que você vai fazer sobre isso?

Quando uma criança chega até você com um problema, faça esta pergunta em um tom caloroso e curioso.

Não pule na frente nem resolva o problema dela!

Como isso os ajuda a longo prazo?

Pelo menos, dê a eles a oportunidade de trabalhar por conta própria, e dê a eles o dom da sua confiança neles, o que implica que eles podem pensar em soluções para seus próprios problemas. Se o seu filho disser “eu não sei”, você pode dizer: “Eu também não tenho certeza, vamos tentar descobrir isso juntos”.

Pessoas felizes são pessoas que pensam em problemas como superáveis, e pensam em si mesmos como solucionadores.

4. Como isso faz você se sentir?

Uma parte essencial da felicidade é poder perceber e expressar suas próprias emoções. Se você puder verbalizar o que está sentindo, poderá entendê-lo, processá-lo e obter apoio de outras pessoas.

Essa é uma ótima pergunta a ser feita quando seu filho chega a você com algo “ruim” que aconteceu, em vez de descartá-lo (“não foi tão ruim assim”) ou consertá-lo (“deixe a mamãe pegar um pouco de gelo!”).

Isto treina seu filho para estar ciente de seus sentimentos e usar essa informação de forma eficaz.

5. O que você acha que ele ou ela sente?

Em qualquer situação, você pode cultivar empatia pedindo que seu filho se pergunte sobre o que alguém sente.

A empatia tornará seu filho uma pessoa mais feliz; ele ou ela terá relacionamentos interpessoais mais fortes, sentir-se-á melhor consigo mesmo por pensar (e, em seguida, muitas vezes, ajudar) nos outros, e obter mais significado da vida.

6. Como você pode olhar para o lado positivo?

Em qualquer situação, você pode ensinar a seu filho que existem pontos positivos.

Com pré-adolescentes ou adolescentes, esta questão pode ser muito boba, mas as crianças pequenas vão gostar. Você também pode ensinar a eles a “recebeu um limão, faça uma limonada” e perguntar como você pode fazer uma limonada em uma situação ruim, como “Você caiu e se machucou, então é um limão, mas você tem uma bandaid Tinkerbell, e isso é limonada!

7. De que parte disso podemos aprender mais?

Em qualquer programa de TV, livro, viagem, basicamente qualquer situação, há algo mais para aprender.

E olhe para você, Super Pai, você já tem seu smartphone pronto! Então, desta vez, use-o para ensinar ao seu filho que a vida é cheia de oportunidades de aprendizado.

Pessoas felizes são pessoas curiosas e sempre aprendendo. Então, quando você assiste TV e alguém diz “Bonjour”, você pode procurar fotos da França ou uma do YouTube cantada em francês.

Quando seu filho perceber que essa pergunta significa que você vai pegar seu smartphone e mostrar a ele algo novo e especial, ele perguntará a você o tempo todo. E é assim que você acaba vendo fotos de imóveis em Nebraska com quatro anos de idade.

8. O que você quer fazer no final de semana?

Pesquisas mostram que a antecipação de experiências positivas traz mais felicidade do que as próprias experiências.

Uma vez que seu filho tenha idade suficiente para perceber que o amanhã não é hoje, comece a incutir um hábito de antecipação positiva de pequenos prazeres.

Uma criança que está animada durante toda a semana para tomar frozen yogurth no fim de semana é uma criança feliz, assim como um adulto que planeja férias com seis meses de antecedência é mais feliz durante esses seis meses.

9. O que podemos fazer para ajudar / fazer alguém feliz?

Leve seu filho para visitar um parente doente, ou alguém conhecido que está se recuperando de uma cirurgia, ou para ser voluntário em uma ação para ajudar alunos de outras escolas.

Seu filho vai se sentir ainda mais orgulhoso de seu comportamento se ele pensar por si mesmo no que pode ser feito (por exemplo, assar biscoitos para entregar, desenhar um cartão).

Pesquisas mostram que isso libera oxitocina e endorfina, então é uma coisa que seus filhos farão com muita satisfação.

10. O que você quer fazer fora hoje?

Sair e praticar físicas ao lado de seu filho é uma ótima maneira de adquirir o hábito de não apenas ficar sentado.

O exercício libera endorfinas e é tão eficaz no tratamento da depressão quanto a medicação. E a maneira mais poderosa de ensinar seu filho sobre o exercício é fazê-lo você mesmo.

As crianças cujas mães se exercitam têm maior probabilidade de se exercitarem. E a luz solar também pode ajudar a melhorar o humor e regular os ritmos circadianos, o que significa um sono melhor para os seus filhos, tornando a todos mais felizes.

11. Quando você se sente mais feliz?

Se você direcionar a atenção de seus filhos para as experiências de que eles mais gostam, eles começarão a perceber que podem optar por aumentar proativamente o tempo gasto em atividades que os fazem se sentirem melhor consigo mesmos.

Segundo o pesquisador Mihaly Csikszentmihalyi, “fluxo” é o estado em que as pessoas acham uma atividade tão prazerosa e gratificante que ficam completamente imersas nela, perdendo todo o sentido do tempo e sentindo-se completamente no momento.

Se o seu filho tiver a sorte de ter encontrado uma atividade que o faça sentir uma sensação de “fluxo”, é útil identificar isso e permitir tempo suficiente ao seu filho para atingir esse estado.

Nota: para muitas crianças essa atividade é o videogame, o que na verdade é bom, já que uma grande quantidade de pesquisas aponta para muitos benefícios psicológicos dos .

O melhor cenário possível é que seu filho encontre algo que o coloque em “fluxo” a uma carreira de sucesso. E daí em diante, como diz o ditado, ele nunca “trabalhará” um dia em sua vida.

A Dra. Samantha Rodman é psicóloga clínica. Ela tem marido, três filhos pequenos e um peixe. Ela publica artigos no Dr. Psych Mom.

Deixe uma resposta